Resenha: Liberta-me – Tahereh Mafi

Liberta-me é o segundo (e melhor até agora) livro da trilogia de Tahereh Mafi, se você ainda não conferiu a resenha do primeiro livro clique na imagem abaixo:

ESTILHACAME_1400771828B

CUIDADO, TEM MUITOS SPOILERS SOBRE O PRIMEIRO LIVRO AQUI!

Liberta-Me-Capa
Título: Librta-me
Autor: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Páginas: 444
Nota: 5/5 ❤
Emocionada estou. Não sei por onde começar. Se eu achei o ultimo livro meio chove não molha, esse é totalmente o oposto.
Sobre o livro:
Vamos lá, o primeiro livro acaba em uma parte decisiva, Juliette encontrou o Ponto Ômega, que é a resistência contra o Restabelecimento. Vale ressaltar que a maioria das pessoas lá tem algum dom, assim como Juliette, mas não o mesmo.
Lá ela passa por um tempo de adaptação, por vários testes que visam entender o seu dom, e fazer com que ela domine ele. Mas como no primeiro livro aconteceu, Juliette mais uma vez complica as coisas, ela sente que todos a odeiam, que julgam ela e ela não faz nada pra melhorar essa situação, apenas se isola mais.
Minha opinião:
Então pra mim o livro foi bem chato até a página 130 mais ou menos (quase abandonei), é difícil eu ter paciência com a Juliette quando todo mundo quer ajudar e ela ignora achando que seu problema é maior que o do restante. Massss gente, o que acontece depois é fantástico, a história toda da uma reviravolta e Juliette se torna uma protagonista muito mais interessante, vibrante e forte.
O Kenji que vimos tão pouco em Estilhaça-me se mostra um personagem muito forte. Ele ao contrario de Adam (que a cada dia que passa eu acho mais chato), não tem medo de falar as verdades na cara da Juliette, ele é o maior responsável por fazer ela melhorar durante o livro. Eles mantêm uma amizade baseada em sinceridade durante o livro.
E bom, como eu senti no primeiro livro, vai ter triangulo amoroso. Mas o mais legal é que dessa vez não sou “dois mocinhos disputando o amor da donzela” e sim o mocinho e o vilão, e gente, me desculpem mas eu prefiro o Warner ❤ mesmo ele sendo meio doido, e convencido, mas as vezes é desse cara que a história pede. Ao contrario do relacionamento dela com Adam que eu achei que foi muito impulsivo e por carência, da pra sentir que Juliette realmente deseja e luta contra esse sentimento que é inevitável. Ta meio na cara pra quem estou torcendo, né?
Outra coisa que também ganhou enfoque nesse livro foi a guerra, o primeiro livro todo focou nos problemas da Juliette, no romance com Adam, e na fuga do restabelecimento, mas nesse a resistência ganha força, e começa a aparecer pra sociedade. E finalmente temos verdadeiras cenas de ação.
A narração da Tahereh é uma coisa mágica, eu sinto e vejo as cenas exatamente como ela quer passar, o que torna muito fácil e rápida a leitura.
Eu recomendo muito esse livro. ❤

Resenha: Estilhaça-me – Tahereh Mafi

Hoje trago a resenha do primeiro livro da trilogia Estilhaça-me, que promete muita aventura, romance e… algumas dúvidas.
ESTILHACAME_1400771828B
Título: Estilhaça-me
Autor: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Páginas: 304
Nota: 4/5 

Sobre a história:

Este livro conta a história de Juliette (juro que achei esse nome feio), que esta presa em um manicômio há 264 dias pois é considerada uma ameaça pra sociedade. Tudo por que o seu toque é letal. Exatamente, ela não pode ter contato com ninguém físico, nem mesmo seus pais.

Lá ela é tratada como um animal, ela imagina o caos que o mundo fora de sua cela esta, mas não tem noção de como as coisas podem piorar. Até que é tirada do hospício pelos homens do Restabelecimento, que seria uma organização governamental que quer usa-la como uma maquina de destruição, para torturar pessoas.

O personagem responsável por isso é o Werner, ele acredita que Juliette tem potencial (já que é um super mérito torturar pessoas, né?), para mostrar a todos seu valor. Adam, que é um dos soldados sempre mantem certa proximidade de Juliette que despertam lembranças que ela já havia enterrado. Eles se conheciam, e ele pode toca-la, mas eles não imaginam o porquê. E Adam esta disposto a ajudar ela (sim gente, nessa hora começa o romance).

mytouch

Minha opinião:

Ao mesmo tempo que eu amei a história, as complicações e o enredo, tem um fator que pode acabar com tudo: uma protagonista chata. Sim, a Juliette é chata, dramática e acha que o mundo gira ao redor dela. Ela tem um conflito interno enorme, e vive tentando provar pra ela que não é louca… ai cansativo.

A escrita dessa autora é linda, muito poética. Mas tudo era muito quando se tratava da nossa protagonista, sabe? Tudo muito exagerado. Mas calma gente, que vamos conhecer personagens ótimos ainda que me fizeram aguentar e me divertir nessa leitura.

O Warner, é o tipo de vilão que você quer odiar e não consegue, que em atitudes repugnantes e mesmo assim você quer tentar entende-lo. Ta, mais por que? Primeiro, ele é lindo. Sério, imaginei ele como o ator que interpreta o Jaime Lannister em GOT. Segundo, ele é misterioso, ao mesmo tempo que ele quer mostrar ser muito muito muito mal, ele esconde todas suas emoções, como se fosse treinado para não sentir. Ai tem, minha gente!

Já o Adam, pode ser lindo e etc. mas não despertou nenhum sentimento em mim, ele e a Juliette se apaixonam (gente, isso é obvio, não é spoiler esta na orelha do livro). Mas eu penso assim: Ela nunca foi tocada com algum carinho, encontra um cara que MILAGROSAMENTE pode toca-la, é muito conveniente se apaixonar por ele. Ela é carente de afeto, exatamente por isso que não me convenceu.

E finalmente o livro termina com um PÁH! O segundo livro promete ser muito bom. Em breve resenha do próximo livro aqui, fiquem de olho! ❤